Resenha: Divergente


Olá, hoje eu trouxe mais uma resenha, dessa vez é do livro Divergente, da autora Veronica Roth e da Editora Rocco.
Vamos conferir ?
SINOPSE:
Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.
RESENHA:

Acho que distopias viraram moda na literatura. Depois que li Jogos Vorazes, tive a impressão de que vários livros desse tipo foram lançados.
Sinceramente, prefiro uma boa distopia do que um romance meloso.
E Divergente não é diferente.
Tudo ocorre em uma cidade futurista, com tecnologia avançada - assim como Jogos Vorazes e Starters - e com uma sociedade que divide-se em cinco facções: Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição.
Beatrice (a protagonista) nasceu na Abnegação, porém quando os jovens fazem 16 anos, todos tem que passar pelo teste de aptidão, que determina em qual facção os jovens devem  passar o resto de suas vidas.
Mas, o teste de Beatrice dá um resultado diferente. 
Ela vai para a facção escolhida e descobre como sobreviver por lá e como funciona.
A protagonista é corajosa, esperta e fiel. Gostei dela. Mas, o problema é que ela não se toca que tem que disfarçar ser o que ela é.
A narrativa é boa, porém a autora não detalha bem os lugares e os personagens, fora isso, eu gostei bastante, pois ela escreve bem.

No começo, eu não estava muito empolgada para lê-lo, mas quando vi, já tinha terminado o livro e já havia me interessado.
Tem muita ação, mas às vezes a autora perde o foco, pois a protagonista fica mais beijando seu namorado do que salvando seus amigos. Nada contra, mas acho que ela deveria ter deixado o romance pra depois.
A história é boa, gostei muito. O livro é grosso, mas os capítulos são curtos e a narrativa não é tão enrolada.

Esse livro é o número 1 de uma série.

Minha nota é 5/5.

Pra quem gosta de uma boa distopia, esse livro é ótimo, recomendo!

Espero que tenham gostado!
Beijos e até mais  (:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

® Inverno de 1996 | Layout por A Design