Resenha - Episódio 1 (Baxter's Back!) da série Raven's Home


Olá leitores!

Vocês souberam que em julho desse ano a Disney lançou um spin-off (uma série derivada de outra série) do seriado As Visões da Raven
Pois é, eu só consegui assistir o primeiro episódio agora e trouxe para vocês a resenha com o que eu achei!

Vamos lá ?

Antes de começar queria dizer que: MINHA INFÂNCIA ESTÁ VIVA <3
Pronto, agora podemos continuar!

SINOPSE DA SÉRIE:
Raven e sua melhor amiga Chelsea, agora mães divorciadas, criam seus filhos juntas numa mesma casa caótica. Raven ainda tem suas visões do futuro, mas agora ela não é a única: um dos seus filhos gêmeos de 11 anos, Booker, tem a mesma habilidade! Enquanto Booker usa seu recém-descoberto poder para sobreviver na escola, Raven usa seu poder para ajudá-la a ser uma boa mãe, uma ótima designer de moda e uma grande amiga. A coisa fica complicada quando as visões de Raven e Booker colidem, mas sempre resolvem tudo em família.

Comecei o episódio sem muita expectativa, mas acabei me surpreendendo em como a Raven e a Chelsea continuam sendo as mesmas pessoas que no antigo seriado.
Raven continua sendo espontânea, exagerada (num bom sentido) e toda atrapalhada com as suas visões. Já Chelsea continua sendo aquela pessoa lerda e ingênua que ela era (o que sempre me identifiquei, inclusive). 
Raven tem um casal de gêmeos, a Nia e o Booker. Nia é mais independente, ou seja, prefere fazer suas coisas sem muita ajuda da mãe. Já Booker é ao contrário, Raven está sempre fazendo mais por ele do que por sua irmã, porém não é intencional. Inclusive, esse é o plot do episódio.
Já Chelsea tem um filho chamado Levi, um garoto inteligente e, como conhece bem sua mãe, percebe quando ela vai fazer algo errado e acaba prevenindo o caos. Ele é bem engraçadinho!



Tem mais uma personagem na série, que é a vizinha deles, a Tess. Ela parece ser uma personagem divertida, mas não percebi muito sobre sua personalidade, talvez nos próximos episódios acabem mostrando mais sobre ela.



O seriado mantém a mesma premissa que o seu antecessor, a mesma comédia e a mesma essência. Dei muitas risadas do começo ao fim! E fiquei curiosa em saber se os outros personagens de As Visões da Raven irão aparecer durante o seriado. Gostaria muito de rever a família da Raven e também o melhor amigo dela, o Eddie. 



Quando apareceu a abertura, fiquei esperando a musiquinha de As Visões da Raven, mas eles fizeram outra música para a série, não só com a Raven cantando, mas com os outros personagens também. O que mais me deixou emocionada, foi no finalzinho da abertura, quando a Raven diz "yep, that's us!" (É, somos nós!), fazendo uma referência à abertura icônica do antigo seriado, quando a mesma dizia "yep, that's me!" (É, sou eu!). Confesso que meus olhos ficaram um pouco marejados, afinal sou uma pessoa nostálgica!



Com certeza irei continuar a assistir a série, pois além de divertida, tem um tom nostálgico!
Acho que será interessante ver como a Raven e a Chelsea irão se sair como mães e como adultas e ainda por cima, morando na mesma casa. 
Fiquei com um gostinho de "quero mais"!

Minha nota:





Espero que tenham gostado da resenha!

Vocês já conheciam esse spin-off ? Já viram algum episódio ? Escreva nos comentários!

Beijos e até a próxima <3

Séries assistidas no primeiro semestre de 2017


Olá leitores!
Nesse primeiro semestre consegui começar algumas séries e terminar outras, além de me atualizar nas que acompanho.

Vamos ver quais foram ?
FINALIZEI

Pretty Little Liars foi a primeira série que eu comecei a acompanhar e quando soube que a sétima temporada seria a última, fiquei triste por saber que ia acabar e aliviada ao mesmo tempo por saber que finalmente saberíamos quem era o último vilão. Apesar da série ser legal, o último episódio não me agradou e me deixou bem decepcionada. Porém irei guardá-la com muito carinho em meu coração! Pretendo ler os livros, pois dizem que alguns acontecimentos são diferentes do que na série. 

The Vampire Diaries foi, se não me engano, a segunda série que comecei a acompanhar, porém quando terminei a sexta temporada, decidi dar um tempo, pois fiquei triste pela Nina Dobrev (uma das protagonistas) ter saído. Mas quando soube que a oitava temporada seria a última, decidi retomá-la. Também não gostei do último episódio, assim como da última temporada, mas vou guardá-la com carinho, também.

Reign era outra série que eu acompanhava e infelizmente terminou em sua quarta temporada. Como eu gosto de histórias sobre reis, rainhas e castelos, adorei assistir uma série sobre a vida da Rainha da Escócia, Mary Stuart. Ao contrário das outras duas séries citadas acima, gostei do último episódio, mas eu gostaria que tivessem a continuado, pois tinha muita coisa para acontecer ainda!

Dance Academy eu assisti as três temporadas inteiras na Netflix e essa com certeza já é uma das minhas séries favoritas. Eu diria que é uma mistura de Gossip Girl, Rebelde e Glee, mas com dança, principalmente o balé. A série estreou em 2010 e foi finalizada em 2013. Vale a pena conferir!
PS¹: É uma série australiana e muito amorzinho <3
COMECEI

Estava muito curiosa para assistir Vikings, pois ouvi muitos comentários sobre.
Terminei a terceira temporada, ainda não comecei a quarta, mas já levei spoiler sem querer!
Espero retomá-la em breve!
(A série atualmente está em hiatus, mas já foi renovada para a quinta temporada)

Todo mundo comentava sobre as série de super-heróis, então decidi começar a assistir. Comecei por Arrow e já estou na quarta temporada. Estou gostando, apesar de alguns episódios cansativos. 
(A série atualmente está em hiatus, mas já foi renovada para a sexta temporada)

Em Arrow acontecia muitos crossovers com The Flash e eu ficava muito confusa e curiosa ao mesmo tempo, então decidi ver a série. Recentemente terminei a segunda temporada, muito confusa porque o Flash volta muito no tempo e isso me irrita um pouco.
Vou esperar a Netflix atualizar a terceira temporada e ver se continuo ou não. 
PS¹: O Barry é muito fofo na série.
PS²: O Cisco é o meu personagem favorito <3
(A série atualmente está em hiatus, mas já foi renovada para a quarta temporada)


Livros e músicas nacionais - Especial 7 de setembro



Olá leitores!

Hoje é dia 7 de setembro, dia da independência do Brasil e para não deixar essa data passar em branco, decidi indicar alguns livros de autores nacionais e algumas músicas de cantores e bandas brasileiras. Não vou indicar filmes, pois confesso que assisti poucos até hoje =/

Infelizmente alguns brasileiros acabam não valorizando as coisas do próprio país. Aqui tem muita coisa legal tanto para ouvir, quanto para ler e assistir. Brasil é um país com uma cultura muito rica, cada região tem seu jeito de falar e de agir e isso é incrível!
Além de termos ótimos escritores e cantores que batalham diariamente para ganhar reconhecimento pelo seu trabalho. Acho válido a gente dar uma chance à essas pessoas ;D

Hoje irei indicar alguns livros que li e algumas músicas que adoro escutar!
Vem comigo!


LIVROS:


Poderosa - Diário de uma Garota que Tinha o Mundo na Mão:


Essa é uma série infanto juvenil do autor Sérgio Klein. Li a série entre meus 11 e 13 anos e lembro que adorava a história da Joana (protagonista do livro), tanto que retirei o primeiro livro na biblioteca da escola várias vezes! Gostaria de ter a oportunidade de ler a série novamente.

SINOPSE DO PRIMEIRO LIVRO:
O pai e a mãe estão se separando, o irmão caçula é o garoto mais implicante do planeta e a avó passa os dias na cama, descascando a parede com as unhas, sem saber o que acontece ao redor. É este o habitat de Joana Dalva, que aos 13 anos sonha em ser escritora. Tudo o que ela desejava era criar histórias que distraíssem os futuros leitores, mas um dia faz uma redação sobre a quase xará Joana d Arc e provoca uma reviravolta na História.
Se uma simples redação podia mudar o passado, por que não usar a literatura para consertar o presente? Joana Dalva não hesita em converter a ficção em realidade. O problema é que cada texto produz conseqüências imprevistas, dando origem a outros textos que trazem novos problemas. E o jogo de gato e rato acaba escapando do controle.


Livros da Mari Scotti: 


Não podia faltar nessa lista os livros da nossa autora parceira, a Mari Scotti! Por enquanto só li Insônia, que é o primeiro livro da série Nefilins e Montanha da Lua, que é o primeiro livro da série Família Hallinson.
A escrita da Mari é maravilhosa e você vai se encantar com suas histórias!
Insônia é fantasia e romance, e quem me conhece sabe que amo fantasia <3 Já Montanha da Lua é um romance histórico, e esse foi o primeiro livro desse gênero que li!
Aqui no blog tem resenha de Insônia e de Montanha da Lua.
Gostaria muito de ler a continuação dessas duas séries, mas tenho alguns livros parados na estante que quero ler primeiro =/

O Castelos das Águias da Ana Lúcia Merege:


Ana Lúcia Merege publicou pela Editora Draco (nossa editora parceira) o livro O Castelo das Águias, o primeiro de uma série de livros de fantasia, aventura e romance. Adorei conhecer a obra da autora e fiquei feliz em ler uma história com elfos, pois nunca havia lido algo assim antes. Também gostaria de ler a continuação!
Tem resenha do livro aqui no blog.

Metrópole - Despertar, da Melissa de Sá: 


Primeiro livro nacional de distopia que leio e adorei a premissa! Apesar de ter achado a escrita da autora um pouco confusa, achei a história muito boa, tanto que estou curiosa para ler a continuação! 
Também tem resenha do livro aqui no blog.

Outra Vez, da Carolina Gama:


Vocês querem conto ? Aqui também tem! E é um romance bem fofo <3 
Esse conto é da nossa outra autora parceira, a Carolina Gama. A escrita dela é ótima e o conto além de ser fofo, tem um pequeno suspense no começo!
Confira a resenha aqui no blog.

BÔNUS:

Não podemos deixar de citar os quadrinhos que fizeram parte da infância de muitas pessoas, a Turma da Mônica do Mauricio de Souza (meu sonho é conhecer ele pessoalmente <3)!
Lembro que eu lia os gibis na escola quando era criança, acho que li quase todos os gibis que tinha lá!
Acho incrível uma franquia de quadrinhos brasileira fazer tanto sucesso, visto que também temos por aqui mangás e quadrinhos de super heróis. 
Que saudade!

Resenha - Entre o Agora e o Sempre

Olá leitores!
Hoje temos a resenha do segundo livro, continuação de Entre o Agora e o Nunca.

Vamos ver o que a colaboradora do blog, a Saiury, achou sobre o livro ?

Título: Entre o Agora e o Sempre - livro #2 (continuação de Entre o Agora e o Nunca)
Autora: J.A. Redmerski
Editora: Suma de Letras
Nº de páginas: 304
Ano de lançamento: 2014
Onde comprar: Saraiva | Submarino | Amazon
SKOOB

SINOPSE:
Camryn Bennett e Andrew Parrish nunca foram tão felizes. Cinco meses depois de se conhecerem num ônibus interestadual, os dois estão noivos e prestes a ter um bebê. Nervosa, mas empolgada, Camryn mal pode esperar para viver o resto de sua vida com Andrew, o homem que ela sabe que vai amá-la para sempre. O futuro só lhes reserva felicidade... até que uma tragédia os surpreende. Andrew não consegue entender como algo tão terrivelmente triste pôde acontecer. Ele tenta superar o trauma — e acredita que Camryn esteja fazendo o mesmo. Mas, quando descobre que Camryn busca sufocar uma dor imensa de uma forma perigosa, fará de tudo para salvá-la. Determinado a provar que o amor dos dois é indestrutível, Andrew decide levar Camryn numa nova jornada carregada de esperança e paixão. O mais difícil será convencê-la a ir junto... 
RESENHA:

Resenha escrita por Saiury Francescatto.

Como eu disse na resenha anterior, Entre o Agora e o Nunca foi um livro ao qual me apaixonei à primeira vista. Criei bastante expectativa sobre a continuação da incrível e apaixonante história de Andrew e Camryn. 
Entre o Agora e o Sempre, apesar do começo meio ... (Como posso dizer ?) ... Chato, me surpreendeu com certas coisas. 

Sabe a história do “viveram felizes para sempre”? Sempre tem tragédia no meio, não é mesmo ? Bom, nesse livro não muda muito esse contexto. Ninguém esperava que uma tragédia acontecesse, até o momento em que finalmente acontece, e é nessas horas que o amor entre os dois precisa ser mais forte. PORÉM, não é tanto. 
Camryn, a qual eu achava que era uma garota forte e divertida, não consegue lidar muito bem com que aconteceu e procura uma solução não muito boa para seus problemas, e ainda por cima, pelas costas de Andrew. E quando ele descobre ... Bem, acho que ele realmente a ama, não é ? E é nesse momento em que temos mais uma viagem emocionante ao som do bom e velho rock clássico.

Eu me viro para Andrew de novo, esperando que ele desembuche. Uma brisa fria atravessa minha blusa de tricô e eu enfio as mãos nas mangas.— Você tem cinco minutos pra botar todas as suas coisas na mala — ele diz, e meu coração começa a bater descompassado antes que ele termine a frase. Ele bate no pulso sem relógio. — Nem um segundo a mais.— Andrew…— Isso não tá em discussão — ele diz. — Vai pegar suas coisas.[...] Quando começo a discutir de novo, os olhos de Andrew ficam ferozes e ele diz:— Anda logo. O tempo tá acabando! — E aponta para a casa.Finalmente, baixando a guarda e entrando no clima tanto quanto posso me permitir, olho para ele com raiva e digo:— Tudo bem. — Só concordo porque sei que ele está tentando melhorar as coisas. Mas me sinto culpada pra caramba. (Camryn, pág. 113-114)

Pois é ... Andrew, Andrew, Andrew ... Moço bonito, moço formoso ... Sempre conseguindo o que ele quer. Mas, quando você acha que o bad boy ficou mansinho, o que acontece ? ELE VOLTA. ISSO AÍ, MINHA GENTE! Ai, ai ... Muitas coisas acontecem nessa viagem e isso muda a relação dos dois, deixando-a mais forte, apesar de levemente abalada.

Logo no começo da viagem, por causa de Natalie, Camryn se lembra de Ian, seu ex-namorado que morreu há alguns anos, e isso a deixa ainda mais fraca emocionalmente, pois Ian era além de seu namorado, um dos seus melhores amigos. Mas graças a ajuda de seu maravilhoso atual namorado (já perceberam que eu elogio muito ele? É que é o Andrew Parrish, amores!), Camryn enfrenta seus demônios e segue em frente aos poucos.

— Promete que se um dia eu tiver mal de Alzheimer ou ficar senil e não me lembrar de ninguém, você vai me visitar todo dia e ler pra mim, como Noah lia pra Allie.— Quem? — eu pergunto, mas aí a ficha cai. — Aaaah, entendi. — Eu rio dela e concordo com a cabeça.Seus olhos e seu sorriso aumentam e ela grita:— Andrew! Não tem graça! Tô falando sério! — Ela ri e eu a agarro, puxando-a para os meus braços.— Tudo bem, tudo bem! — eu me rendo, apertando seu corpo que se retorce contra o meu.— A ideia foi sua — ela acusa —, então não faz piada.— Eu sei. Você tem razão, mas… é sério? Precisa ser tão fã assim de Diário de uma paixão ? (Andrew, pág.131)

É claro que para uma história ser realmente boa, é preciso de altos e baixos, o que a maravilhosa J. A. Redmerski mostra muito bem em mais uma de suas narrativas cheias de palavrões, gosto musical incrível e um maravilhoso modo de usar as palavras de um jeito informal.

Tentar explicar um amor tão incrível e uma história tão romântica como a desse shipp maravilhoso é difícil, ainda mais quando eu nunca vivi um amor assim (chateada!). Mas tudo o que eles passaram e o modo como um se encontra no outro para enfrentar os problemas é simplesmente perfeito, tornando tudo uma verdadeira história de amor e quase um conto de fadas moderno. E não podemos negar que muitas coisas ainda podem vir a acontecer para esses dois. 

Entre o Agora e o Nunca e Entre o Agora e o Sempre foram dois livros que realmente me inspiraram a ter o maior sonho de cair na estrada ouvindo rock, mas sem muitas esperanças né, já que duvido que eu vá encontrar um Andrew Parrish em uma estrada qualquer do Brasil. (Nunca se sabe, mas né ...).
Para concluir, quero dizer que: Pois é, amores... VOU MORRER SOZINHA! (ou vou viver sozinha numa casa cheia de gatos e livros!)


Nota:


4/5


Espero que tenham gostado da resenha!

Me contem nos comentários se vocês conheciam esse livro ou se já o leram!

Beijos e até a próxima <3
® Inverno de 1996 | Layout por A Design